Porque escrevia George Orwell ?

1. Por puro egoísmo. Pelo desejo de parecer inteligente, de ser falado, de ser lembrado após a minha morte, para me vingar dos agora adultos que me gozavam quando era criança, etc. É enganador pensar que isto não é um motivo, e forte. Os escritores partilham esta característica com os cientistas, artistas, políticos, advogados, soldados, homens de negócios – em resumo, com toda a nata da sociedade. A grande massa de seres humanos não é vincadamente egoísta. E geralmente após os 30 quase abandonam o conceito de individualidade – passando a viver principalmente para os outros ou afogados em drogas. Mas existe também uma minoria de pessoas talentosas e desejosas que se encontram determinadas a viver as suas próprias vidas até ao fim. Os escritores pertencem a esta classe. Os escritores sérios, devo dizer, são no seu todo mais vagos e egocêntricos que os jornalistas, apesar de menos interessados em dinheiro.

2. Entusiasmo estético. Pela percepção de beleza no mundo exterior ou , por outro lado, nas palavras e no seu correcto alinhamento. Pelo prazer do impacto do som num indivíduo, na firmeza de uma boa prosa ou no ritmo de uma boa estória. Pelo desejo de partilhar uma experiência que se entende como valiosa e que não deve ser perdida. O motivo estético é muito débil para muitos escritores, mas mesmo um panfletário terá palavras ou frases predilectas que lhe são apelativas por nenhuma razão específica; ou poderá ter uma paixão por tipografia, geometria das margens, etc. Acima do nível de um guia de comboios, nenhum livro está realmente livre de considerações estéticas.

3. Impulso histórico. Pelo desejo de ver as coisas como elas são, descobrir os factos e arquivá-los para uso da posteridade.

4. Propósito político. Utilizando a palavra “político” no sentido mais amplo possível. Pelo desejo de empurrar o mundo numa determinada direcção, para alterar a percepção das pessoas no que se refere ao tipo de sociedade pela qual se devem bater. Uma vez mais, nenhum livro está livre de um viés político. A própria opinião de que a arte não deveria ter nada a ver com política é em si mesma uma atitude política.

Orwell_Signature

2 Comments Add yours

  1. O homem sabe do que fala!

    Muito bem

    1. fb diz:

      Dizem que sim…😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s